Topo

Improvisar sobre Desafinado de Tom Jobim  

  RSS

addede85
(@addede85)
Membro Ativo
Entrou: 2 anos atrás
Posts: 2
08/12/2017 12:31  

Por falar em música difícil de improvisar, recentemente eu estava tocando num evento, dois violões, eu e um amigo, quando ele cantou fui provocado por ele pra solar. A musica era nada mais, nada menos, que Desafinado do Tom Jobim. A estrutura harmônica dessa música é cheia de modulações e acordes de empréstimo modal, imagina a dificuldade de criar melodias sensatas em cima dela!!!!! Andei foi por caminhos tortuosos e confesso que não me saí bem. Vou ter de estudar algo pra Desafinado, preparar em vez de improvisar. Quem sabe assim, minha melodia seja agradável a quem tá ouvindo.


ResponderCitar (Quote)
Turi Collura
(@turi-collura)
Membro Admin
Entrou: 4 anos atrás
Posts: 45
08/12/2017 15:56  

"Desafinado" ou "Desafiado"! rsrsrs. Vejamos algumas coisas: na hora de improvisar esqueça a análise harmônica (acordes de empréstimo modal?!? Pouco importa!) se não realmente não vai dar tempo de fazer algo "naquele acorde"... ou fazemos análise ou improvisamos. É claro que a análise nos serve... mas antes de pegar em mãos o instrumento. Acredito que se você utilizar a abordagem vertical pode se sair bem. Outra coisa: sim, é preciso tempo, "horas de voo", para improvisar sobre Desafinado de maneira consistente, especialmente se o nível de sua expectativa for alto. Se quiser, mande seu(s) improviso(s), acho que pode se de interesse de muitos. Abraços.


edu_frc curtiu
ResponderCitar (Quote)
JOSEILTON CLAUDIO BARBOSA
(@joseilton-claudio)
Membro em Ascenção
Entrou: 2 anos atrás
Posts: 9
15/12/2017 00:08  

Turi, eu já desisti de tentar improvisar sobre a música Desafinado do Tom Jobim. É uma música muito difícil com acordes com bastante tensões, o que dificulta qualquer encaixe de melodias que eu faço. Tento aplicar os conceitos estudados mas na hora nada acontece, aí fico na base da intuição e do empírico sem consistência. Improvisar nessa música é para os improvisadores, não para os aspirtantes, ou seja, não é pra quem quer, mas sim pra quem pode. Já avisei aos meus amigos do trio do qual faço parte que não passem a bola para mim, deixem-me quieto fazendo meu acompanhamento que o resultado sai bem melhor. KKKKKK.


ResponderCitar (Quote)
Turi Collura
(@turi-collura)
Membro Admin
Entrou: 4 anos atrás
Posts: 45
16/12/2017 15:07  

Olá Joseilton, acredito que, quando encontramos uma dificuldade, devamos tentar superar os obstáculos com diligência, paciência e estratégia. Por outro lado, quando não conseguimos superar o obstáculo de forma alguma, é sábio recuar e nos prepararmos melhor. Se pode servir para algo, compartilho aqui um vídeo com algumas propostas sobre essa música.

Escalas e Improvisação em Corcovado


ResponderCitar (Quote)
JOSEILTON CLAUDIO BARBOSA
(@joseilton-claudio)
Membro em Ascenção
Entrou: 2 anos atrás
Posts: 9
16/12/2017 23:42  

Lindíssima sua improvisação sobre Corcovado. As explicações sobre ela são riquíssimas e bastante válidas, mas muita avançadas, o que exige do aspirante à improvisação um conhecimento superior e um treinamento auditivo exaustivo para poder absorver tamanhas sonoridades. Pra cada acorde da música, uma escala e com outra de quebra, além, como alternativa!!! Memorizar essas escalas, extrair delas as notas que servem, compor melodias com essas notas, encaixando-as ritmica e melodicamente na harmonia, na proposta e no estilo da música, de forma improvisada ainda por cima, não é tarefa pra qualquer músico. Eu, por exemplo, não possuo essa habilidade.

A improvisação que você fez foi na música Corcovado e não Desafinado. Foi sensacional tudo que você apresentou. Aprecio muito ver e ouvir seu talento criativo. Tenho um CD seu que ouço muito: "Interferências".


ResponderCitar (Quote)
theblesilva
(@theblesilva)
Membro Ativo
Entrou: 2 anos atrás
Posts: 2
18/12/2017 18:08  

Vou me meter na conversa aqui kkk
Apesar de estar fazendo o curso de Harmonia, eu já fiz a improvisação com o Turi tem uns 3 anos e ainda pesquiso muitas coisas. Meus improvisos estão muito aquém do que gostaria, mas tenho um bom material teórico de apoio que me ajuda a caminhar.

Gostaria apenas de aconselhar nosso amigo Joseilton pq as vezes constroem-se barreiras na música que são muito excludentes quando na verdade música é integração e expressão. Essa ideia de memorizar as escalas primeiro pra depois começar a construir coisas interessantes em parte é verdade e em parte nem tanto. O que quero dizer é o seguinte: pegue uma música, como Corcovado mesmo, e ao invez de improvisar pensando em todas as escalas verticais, horizontais, diagonais kkk, simplesmente CANTE e toque o que estiver cantando. O Turi fala muito disso e se você perceber a maioria dos grandes improvisadores tbm cantam. O ato de cantar vai te mostrar o que seu ouvido já interiorizou dos sons e com certeza seu discurso musical será muito mais consistente do que buscar apenas nas escalas. A música quando sai da cabeça e vai pros dedos é completamente diferente de quando vem dos dedos e vai pro ouvido.

abç
Bons estudos


ResponderCitar (Quote)
JOSEILTON CLAUDIO BARBOSA
(@joseilton-claudio)
Membro em Ascenção
Entrou: 2 anos atrás
Posts: 9
05/01/2018 02:41  

Tocar instantaneamente o que canta faz parte das habilidades e é extremamente difícil. Já vi muitos amigos solar cantando o que toca, o que é outra coisa e tem outro resultado não tão satisfatório quanto a ordem desejável. Transformar o material da gramática musical em melodias condizentes e coerentes com a proposta da música que se está tocando é também outro grande desafio que exige talento. A improvisação é uma arte, aliás, a música já é arte e, como toda arte, requer talentos e habilidades.

Embora eu tenha tentado dar uma melhorada na minha performance com a aplicação dos conhecimentos e conceitos aqui apresentados e tão bem explicados pelo nosso guia Turi, sinto que os meus improvisos também estão aquém e não soam como gostaria, aí acabo percorrendo o caminho que sempre fiz: o da intuição e do empirismo, o que às vezes dá certo, e em muitas não, sobretudo quando a música envolve muitos elementos.

Por isso, tenho pensado em mudar o foco dos meus estudos. Em vez de improvisação, penso em me dedicar à harmonia, talvez assim eu consiga obter um resultado melhor.


ResponderCitar (Quote)
JOSEILTON CLAUDIO BARBOSA
(@joseilton-claudio)
Membro em Ascenção
Entrou: 2 anos atrás
Posts: 9
05/01/2018 02:44  

Tocar instantaneamente o que canta faz parte das habilidades e é extremamente difícil. Já vi muitos amigos solar cantando o que toca, o que é outra coisa e tem outro resultado não tão satisfatório quanto a ordem desejável. Transformar o material da gramática musical em melodias condizentes e coerentes com a proposta da música que se está tocando é também outro grande desafio que exige talento. A improvisação é uma arte, aliás, a música já é arte e, como toda arte, requer talentos e habilidades.
Embora eu tenha tentado dar uma melhorada na minha performance com a aplicação dos conhecimentos aqui apresentados e tão bem explicados pelo nosso guia Turi, sinto que os meus improvisos também estão aquém e não soam como gostaria, aí acabo percorrendo o caminho que sempre fiz: o da intuição e do empirismo, o que às vezes dá certo, e em muitas não, sobretudo quando a música envolve muitos elementos.
Por isso, tenho pensado mudar o foco dos meus estudos. Em vez de improvisação, penso em me dedicar à harmonia, talvez assim eu consiga obter um resultado melhor.


ResponderCitar (Quote)
Share:
  
Funcionando

Por favor Entrar ou Cadastrar